29 de novembro de 2014

Falecido nesta sexta-feira, comediante mexicano Chespirito quase gravou filme com Pelé. #ObrigadoChaves

0 comentários

0

“Seria melhor ter ido ver o filme do Pelé.” A frase incansavelmente repetida em um episódio de “Chaves” quase transcendeu o seriado. Falecido nesta sexta-feira, aos 85 anos, o ator Roberto Gómez Bolaños chegou a receber um telefonema do Rei do Futebol, na década de 1970, interessado em gravar um longa-metragem ao lado dos famosos personagens mexicanos.

“Chespirito conversou com Pelé! Queríamos muito um filme dele, gravado no Brasil. Pena que não deu certo”, contou o ator Edgar Vivar, o intérprete do “Seu Barriga” e do “Nhonho”, em uma entrevista concedida para a Gazeta.net em 2012.

Com diversas referências ao futebol em sua obra, Bolaños não achava que o “Chaves” fosse um personagem propenso para estrelar nos cinemas. Torcedor fanático do América do México, ele chegou a gravar o longa “El Chanfle” para homenagear a equipe do coração, porém não levou adiante o projeto com Pelé.

Na versão original de Chaves, inclusive, “El Chanfle” é o verdadeiro “filme do Pelé” que o personagem principal teima em assistir quando vai ao cinema com Seu Barriga, Seu Madruga, Professor Girafales, Dona Florinda, Dona Clotilde e Chiquinha. A adaptação não diminui a admiração de Roberto Gómez Bolaños pelo ídolo brasileiro.

Em 2011, o ator se emocionou ao receber das mãos do apresentador Carlos Massa, o Ratinho, uma camisa da Seleção Brasileira autografada pelo ex-jogador. “Ao Rei do Humor, Chespirito, do amigo, Rei Pelé” foi o que o brasileiro escreveu no uniforme amarelo, o suficiente para deixar Bolaños com os olhos marejados. “Edson Arantes do Nascimento, Pelé. Muito obrigado. Meu coração é absolutamente seu”, ele agradeceu.

Na Copa do Mundo de 1970, disputada no México, todo o elenco de Chaves já havia conseguido se aproximar do Rei do Futebol. “Conheci o Pelé naquela ocasião, sabia? Em um evento de inauguração dos jogos, fiquei sentado duas ou três fileiras à frente dele. Nossa, era Pelé! Pelé! Eu não acreditava. Meu coração começou a bater mais forte ao vê-lo. Só não pude apertar a sua mão porque ele estava em um lugar afastado, especial, perto do presidente do México”, recordou Edgar Vivar, o Seu Barriga.
Mais de quatro décadas depois, quem chamou a atenção em uma Copa do Mundo realizada no Brasil foi o próprio Chaves. Em grande número no País, os torcedores mexicanos se fantasiaram com trajes do consagrado personagem mexicano – e também do herói Chapolin Colorado – para torcer por sua seleção no torneio vencido pela Alemanha.

Chaves ainda influenciou muitos dos grandes jogadores dessa geração. Astros do Barcelona, o argentino Messi e o brasileiro Neymar já se vestiram de “Quico”, mais uma criação de Bolaños, para participar de festas à fantasia.

Luto em Tangamandápio

Pequena cidade mexicana que ganhou fama por causa do personagem “Jaiminho”, de Chaves, Tangamandápio está de luto com a notícia da morte de Roberto Gómez Bolaños.

“Estamos consternados, já que ele foi uma pessoa com capacidade de fazer rir crianças, jovens e adultos com um humor limpo, claro e honesto. Ainda não acreditamos no que nos informou a televisão. Talvez Deus tenha decidido que esse é o melhor caminho e que ele deva descansar em paz. Nessa altura, já deve estar fazendo rir o Todo-Poderoso”, comentou Roberto Escobar, ex-carteiro (tal qual Jaiminho) em Tangamandápio.

O mexicano aproveitou para desejar melhoras a Pelé, internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein, com infecção renal. “Lamentamos que o Pelé esteja doente e vamos rogar ao Criador que dê o melhor a ele. Ele sempre colocou o Brasil e o futebol no alto. Aqui, no México, é lembrado como um grande ídolo”, disse Escobar.

Leave a Reply

Marcadores

2008 (197) Arquivo (374) Bahia (7) BBB (62) Como Pensam... (11) Crônica (1) Culinária (9) Filmes (44) Humor (84) Ivete Sangalo (4) Música (214) Notícias (43) Novelas (4) Política (23) Saúde (25) Televisão (943) Variedades (183) Veneno (3) Vídeos (168)