1 de maio de 2014

60 curiosidades sobre os 60 anos de carreira de Carlos Alberto

0 comentários

Para celebrar os 60 anos de carreira de Carlos Alberto de Nóbrega, separamos 60 curiosidades sobre a vida e a carreira de um dos maiores nomes da televisão brasileira.

Nasceu em Niterói, em 12 de março de 1936, e começou sua carreira aos 18 anos no dia 1º de maio de 1954 na Rádio Nacional.

 


Quatro dias depois, Golias começou a trabalhar com Carlos Alberto no programa de seu pai, Manoel de Nóbrega. Desde então, trabalharam sempre juntos.

 


Em 1956, Manoel de Nóbrega criou a famosa Praça. O programa era feito na rádio, usando o auditório, mas nunca foi feito para o rádio, sempre pra TV.

 


Manoel de Nóbrega criou A Praça da Alegria após uma viagem para Buenos Aires, mas ele não foi o primeiro a sentar no banco da Praça. Os responsáveis por este momento histórico foram Carlos Alberto e Golias.

 

Carlos Alberto era gago. Por isso, ele falava meio cantando para não ser notado.

 

 

Carlos Alberto conta que quando começou a carreira era feio, espinhudo enarigudo. Ele acredita que o medo do que sobraria para ele em shows de circo por ser tudo isso e ainda gago fez com que a gagueira fosse curada.

 


Acha que a coisa mais difícil de sua vida foi ter deixado de ser gago.

 

 

Em 1945, Manoel de Nóbrega ganhou uma bolsa de estudos nos Estados Unidos. Carlos Alberto foi de navio e morou em Nova York de junho a dezembro.

 


Em 2013, Carlos Alberto foi homenageado pelo Risadaria.

 

 

No especial de 30 anos do SBT, em 2011, Carlos Alberto interpretou a versão brasileira do Professor Girafales.

 


Escreveu o livro "A Luz que Não Se Apaga" sobre a história de Manoel de Nóbrega, lançado em 2004.

 


Na juventude, Carlos Alberto treinava jiu-jitsu de segunda, quarta, sexta e sábado.

 

 

Uma de suas maiores conquistas foi ser chamado pelo seu nome e não por ser filho de Manoel de Nóbrega.

 


Sempre sai com dor após a gravação do programa por ficar horas sentado no banco da Praça.

 


Sempre senta na ponta e nunca encosta no banco.

 

 

Ficou 11 anos sem falar com Silvio Santos.

 

 

Considera sua estreia no SBT como o dia mais importante e feliz de sua vida.

 

 

A lembrança mais triste de sua vida foi o primeiro programa que ele fez sem o Golias.

 

Perdeu o pai e a mãe aos 40 anos em um período de seis meses.

 

 

Trabalhou 12 anos com Os Trapalhões.

 

 

No começo de sua carreira, as pessoas não acreditavam que era ele quem escrevia seus textos. Achavam que eram do seu pai.

 


Ao lado de Jô Soares, escreveu A Família Trapo.

 

 

Não gosta de ser chamado de chato.

 

 

Não gosta de falar ao telefone.

 

 

Não gosta de tirar fotos.

 

 

Adora mulheres.

 

 

Adora automóveis.

 

 

Tem medo de ver espíritos.

 

 

Adora filet de haddock

 


Perdeu uma mania horrível que era comer de madrugada. Foi obrigado a parar.

 

 

Nasceu e cresceu dentro do espiritismo.

 

 

Gosta de ficar sozinho para fugir dos problemas.

 

 

Toda vez que entra na Praça lembra de seu pai e de Golias.

 

 

Fez faculdade de Direito.

 

 

Para trabalhar no rádio, seu pai impôs que ele desse um diploma para ele.

 

 

Era filho único.

 

 

Tem seis filhos.

 

 

Tem muito medo de altura.

 

 

No começo deste ano, Carlos Alberto chegou a pensar em morar em Miami e continuar trabalhando no SBT, mas desistiu.

 


Carlos Alberto e Hebe passavam horas conversando ao telefone.

 

 

Considerava Canarinho como uma das pessoas que mais gostou em sua vida.

 

 

Para Carlos Alberto, terça-feira, dia da gravação da Praça, é como se fosse um domingo pela alegria de gravar o programa.

 

 

Ele participa ativamente da produção do programa: faz a redação final, edita e dá palpites.

 

 

Ele aprendeu a andar dentro de uma estação de rádio em Ipanema, Rio de Janeiro.

 

Ele diz que não é engraçado e não sabe contar piadas, mas espera que escreva coisas que sejam engraçadas.

 


Desde 1954, tudo o que Golias fez, com exceção de teatro, era escrito por Carlos Alberto.

 


Ele e Silvio Santos se conhecem desde 1954.

 

 

Embora tenha estudado Direito, Carlos Alberto queria estudar Engenharia porque adora construção.

 


Fez 10 anos de análise.

 

 

Seu bordão é: "Por hoje é só, mas quinta-feira estaremos de volta novamente. Eu aqui no meu velho e querido banco, e vocês aí em todo Brasil porque… A Praça é Nossa! Ela é muito nossa!".

 

A Praça é Nossa já está no ar no SBT há quase 27 anos.

 

 

Até pouco tempo atrás, não gostava de internet e não usava e-mail. Já chegou a tentar quebrar seu computador.

 

 

Para manter uma figueira em seu sítio, Carlos Alberto preferiu destruir uma casa e construí-la de novo do que destruir a árvore.

 


Carlos Alberto foi casado duas vezes.

 

 

Com Marilda, sua primeira esposa, teve 4 filhos. Com Andréia teve dois.

 

 

Como seus pais morreram com 63 anos, ele achava que também morreria com essa idade.

 

 

Atualmente, ele se considera apenas um pouco machista.

 

 

Tem o sonho de terminar sua vida artística no SBT.

 

 

Quando era jovem, pilotava uma lancha de Silvio Santos, mas precisava dizer que era dele porque o Silvio ficava com vergonha de assumir que tinha uma lancha.

 

Recentemente, precisou colocar um cateter e assumiu que sente medo de morrer.

 

Fonte: SBT

Leave a Reply

Marcadores

2008 (197) Arquivo (374) Bahia (7) BBB (62) Como Pensam... (11) Crônica (1) Culinária (9) Filmes (44) Humor (83) Ivete Sangalo (3) Música (214) Notícias (40) Novelas (1) Política (23) Saúde (25) Televisão (934) Variedades (183) Veneno (3) Vídeos (166)