10 de janeiro de 2013

"O Canto da Sereia" agrada público no primeiro episódio.

0 comentários
 
O Canto da Sereia, a nova série da Globo baseada no romance homônimo de Nelson Motta, estreou nesta terça-feira (8) com média de 23 pontos de Ibope -- um bom índice levando-se em consideração o horário e, sobretudo, a concorrência . Na mesma noite, o SBT registrou 8 pontos, ficando à frente da Record, com pico de 5.
 
O grande destaque é a dobradinha na direção feita por José Luiz Villamarim e Ricardo Waddington, os mesmos diretores de Avenida Brasil. Com enquadramentos de câmera utilizados pelo cinema, os diretores, mais uma vez, conseguem levar os telespectadores para dentro da tela. No primeiro episódio dá para imaginar que se está subindo o trio elétrico logo atrás de Sereia (Ísis Valverde). Os diretores ainda transportam o público para o lugar do segurança e policial Agostinho Matoso (Marcos Palmeira), que participa de uma relação sexual com a artista e com a produtora Mara Moreira (Camila Morgado).
 
Comparado a outras produções da Globo, o sotaque "baianês" melhorou muito, mas continua a ser um problema na interpretação para atores de outros estados. Ísis ainda escorrega em expressões como "painho", "meu rei", "adoro a Baêa", entre outros vícios.
A personagem interpretada por Ísis Valverde apresenta uma influência de várias cantoras do Carnaval de Salvador. A caracterização, inclusive, lembra muito Emanuelle Araújo na época da Banda Eva. Mas é o jeito despojado e solto de Ivete Sangalo que ganha destaque através da atriz.
 
Uma cena que chama a atenção no primeiro capítulo é quando Sereia enfrenta o governador (intepretado por Marcos Caruso, o Leleco de Avenida Brasil) com ironia. Pura ficção, é claro, mas bem que poderia servir de exemplo para os reais artistas do Axé.
 
A série apresentou uma boa repercussão nacional nas redes sociais durante a estreia. Com os baianos a empatia é ainda maior, já que identificam locais conhecidos da cidade, como o Restaurante Amado, que se transformou na casa de Sereia. O "Bar de Neuzão", no Pelourinho, a praça do Santo Antônio Além do Carmo e o prédio do Sulacap ficaram muito bem nas imagens. As filmagens, aliás, quebram com a velha desculpa de alguns cantores e de outros veículos de imprensa, que preferem o circuito Dodô (Barra / Ondina - Orla de Salvador) por possuir um "melhor visual".  O Carnaval da série é todo ambientado no Campo Grande, destacando as imagens da Baía de Todos-os-Santos, do Mercado Modelo e de trechos arborizados da Avenida Sete.
 
Os nomes de três baianos se destacaram dentro do elenco. João Miguel chegou a roubar algumas vezes a cena de Ísis Valverde no papel do secretário pessoal e amigo de Sereia, Só Love. Frank Menezes, que há pouco tempo ganhou destaque nacional como o Padre Cecílio em Gabriela, dá exemplo da naturalidade e do jeito baiano de ser. Por fim, Margareth Menezes, que começou sua carreira há mais de 20 anos como atriz de teatro, aparece bem segura no papel da Delegada Pimenta.
 
A série é curta e será exibida apenas até a sexta-feira (11). Diferente do ano passado, em que a Bahia ganhou o noticiário nacional às véperas do Carnaval com a greve da Polícia Militar, os artistas podem aproveitar a onda e ter um fôlego a mais no já desgastado Axé Music.
 
_Por Bruno Brasil_Vida Alheia_Metro1_

Leave a Reply

Marcadores

2008 (197) Arquivo (374) Bahia (7) BBB (62) Como Pensam... (11) Crônica (1) Culinária (9) Filmes (44) Humor (84) Ivete Sangalo (3) Música (214) Notícias (42) Novelas (3) Política (23) Saúde (25) Televisão (941) Variedades (183) Veneno (3) Vídeos (167)