12 de setembro de 2011

Evolução da Logomarca da Rede Globo de Televisão!

0 comentários

A Rede Globo estreou em 2008, juntamente com a nova programação, a sua nova marca. Com isso, o designer austríaco Hans Donner, mais uma vez acompanha, através dos seus grafismos, a evolução da televisão brasileira, assim como vem fazendo desde 1975 quando iniciou seus trabalhos na maior empresa de televisão do país. Auxiliado pelo desenvolvimento da computação gráfica e pelo advento do videoteipe, Donner introduziu uma nova linguagem visual não só a Rede Globo, mas a toda a televisão aberta, efetivando assim, a importância do design gráfico televisivo no Brasil.
A introdução da ilusão da terceira dimensão na programação visual da TV Globo foi um dos principais avanços promovidos por Donner. Graças aos cálculos das mais caras, importadas e modernas máquinas computadoras, possibilitou-se o uso da cor na simulação de volume, texturas metálicas, refrações e reflexos em vidro, feixes de luzes coloridos, sombras e brilhos. Além disso, os movimentos destes elementos ganharam profundidade e perspectiva.

Substituia-se assim, as formas simples com cores chapadas e contrastantes das vinhetas psicodélicas da década de 60 e 70. Os contrastes eram necessários, já que as vinhetas ainda eram vistas em tons de cinza pela maioria dos telespectadores em aparelhos em preto e branco.
vinheta globo 1970
Vinheta da década de1970
Com a chegada de Hans Donner, claramente inspirado no universo futurista, a emissora carioca começou a construir uma forte ligação com a velocidade, o movimento, o futuro e a tecnologia. A Rede Globo acabou se mostrando como uma empresa que está sempre à frente do seu tempo, “antenada” e atualizada aos mais recentes avanços tecnológicos da informação e comunicação. “Recursos tecnológicos de última geração e know-how desenvolvido internamente por seus profissionais das mais diferentes áreas elevaram a Globo ao posto de principal fornecedor de imagens do Brasil para o exterior e para o próprio país”, é como se descreve a emissora em seu site.
Neste contexto, a marca da emissora é, sem dúvida, o principal elemento que permeia todas essas vinhetas institucionais, e com isso, caracteriza o decorrer dessa evolução. A primeira marca da TV Globo era uma representação minimalista de uma rosa dos ventos (ou um cata-vento), criado pelo designer Aloísio Magalhães em 1965. Posteriormente a rosa dos ventos foi logo substituída em 1970 por um elemento simbólico com uma relação mais evidente com o nome da empresa – um globo terrestre estilizado – criado pelo cartunista Borjalo. Quando a TV Globo se tornou uma Rede em 1974, a forma circular se multiplicou em várias para representar essa mudança. Mas foi em 1975, com Hans Donner, que a identidade começa a assumir a forma atual. Através de alguns rabiscos sobre um guardanapo durante um vôo de avião, um “novo globo” com luzes e sombras surgia, se tornando o novo símbolo da Rede Globo.
O novo símbolo é formado por uma esfera contendo uma abertura quadrangular de cantos arredondados, desvendando uma outra esfera menor. A “abertura” do globo faz uma clara alusão a uma tela de televisão devido ao seu formato. Já as duas esferas, agora com luz e sombra, representam simbolicamente o mundo em dois contextos televisivos. Ou seja, é como se a emissora fosse uma representante do mundo, e por isso, utiliza o próprio mundo como o principal conteúdo (ou inspiração) de sua programação.
evolucao marca globo
Evolução da marca
Com a evolução da computação gráfica e a popularização de televisão em cores, a marca começou a ganhar cada vez mais efeitos, brilhos e atributos cromáticos para demonstrar o avanço técnico e estético da emissora. Além de sempre revitalizar seu padrão hightech (alta tecnologia), essas modificações foram trazendo à marca valores subjetivos importantes como a emoção, a imponência e o espetáculo, evitando qualquer relação com a frieza e a distância que o metal e o vidro pudessem trazer.
Todos esses conceitos e características são ressaltadas nas mais variadas vinhetas institucionais apresentadas ao longo dos anos. Sempre com a idéia de uma televisão representante, participante ou espelho do próprio planeta e de seus elementos culturais, naturais, etc. Em algumas delas de forma abstrata e, em outras, de forma direta e figurativa.
A internet, a interatividade e os conceitos de televisão digital trouxe novos rumos a televisão brasileira. Diante disso, a equipe de criação de Hans Donner e a Rede Globo não podiam deixar de evidenciar, atráves de seu símbolo, esse novo processo evolutivo. Com isso, a abertura quadrangular ganhou um formato wide (16:9), assim como o utilizado pelas novas televisões. Com as mudanças, essa nova “tela” também recebeu uma “maior definição”. O degradê colorido que a compõe, agora em high definition, não são mais formados por formas triangulares e sim, por linhas horizontais. Além disso, o conceito high-tech acompanhou as tendências estéticas atuais e recebeu um ar mais limpo e leve, com efeitos inspirados naqueles utilizados pelas interfaces de sistemas operacionais e na web. O símbolo da Rede Globo acabou tornando-se, de certa forma, um grande botão. Com isso, os telespectadores podem também se tornar usuários desse mundo, agora menos distante por conta dos novos meios interativos. E tudo isso, segundo o próprio Hans Donner comentou durante a apresentação da marca no Fantástico, vêm sorrindo através de um “sorriso” subliminar produzido pelos efeitos metálicos da esfera. Mais uma vez nota-se a necessidade da Rede Globo de se mostrar sempre à frente através da tecnologia e qualidade, sem abrir mão de tornar cada vez mais explícito a importância do seu valor emocional.
vinhetas antigas da globo
Antigas vinhetas institucionais
A Rede Globo não foi a única emissora a utilizar esta estética na sua identidade visual. Aliás, segundo Donner em seu livro Hans Donner e o seu Universo, por conta da ousadia e dos investimentos da emissora, ele foi o primeiro designer a usar essa tecnologia na televisão. Denominando-os de videographics (videografismos), seus trabalhos serviram de referência internacional, como Estados Unidos e Europa. E esse pioneirismo mundial obviamente influenciou as suas concorrentes no Brasil. Em uma análise rápida nos símbolos de suas concorrentes – SBT e Record – verificam-se muitos atributos em comum, como a tridimensionalidade, o uso de efeitos de luz, sombra e reflexos, além do próprio elemento circular ou esférico presente em todos eles. Pode-se dizer, portanto, que essa estética futurista não se ateve só a Globo, mas a toda a televisão brasileira.
marcas concorrentes da globo
Comparação com as marcas concorrentes
A internet, a interatividade e os conceitos de televisão digital trouxe novos rumos a televisão brasileira. Diante disso, a equipe de criação de Hans Donner e a Rede Globo não podiam deixar de evidenciar, atráves de seu símbolo, esse novo processo evolutivo. Com isso, a abertura quadrangular ganhou um formato wide (16:9), assim como o utilizado pelas novas televisões. Com as mudanças, essa nova “tela” também recebeu uma “maior definição”. O degradê colorido que a compõe, agora em high definition, não são mais formados por formas triangulares e sim, por linhas horizontais. Além disso, o conceito high-tech acompanhou as tendências estéticas atuais e recebeu um ar mais limpo e leve, com efeitos inspirados naqueles utilizados pelas interfaces de sistemas operacionais e na web. O símbolo da Rede Globo acabou tornando-se, de certa forma, um grande botão. Com isso, os telespectadores podem também se tornar usuários desse mundo, agora menos distante por conta dos novos meios interativos. E tudo isso, segundo o próprio Hans Donner comentou durante a apresentação da marca no Fantástico, vêm sorrindo através de um “sorriso” subliminar produzido pelos efeitos metálicos da esfera. Mais uma vez nota-se a necessidade da Rede Globo de se mostrar sempre à frente através da tecnologia e qualidade, sem abrir mão de tornar cada vez mais explícito a importância do seu valor emocional.

Leave a Reply

Marcadores

2008 (197) Arquivo (374) Bahia (7) BBB (78) Como Pensam... (11) Crônica (1) Culinária (9) Filmes (44) Humor (84) Ivete Sangalo (5) Música (214) Notícias (43) Novelas (5) Política (23) Saúde (25) Televisão (948) Variedades (183) Veneno (3) Vídeos (168)